CUSTOM CSS
AlsoBuyMinicart Settings 2

7 Sinais da falta de vitamina D

Mesmo com muita importância para a saúde, não é raro que pessoas tenham deficiência de vitamina D, que é a “vitamina do sol”. Ela desempenha um papel crucial em várias funções essenciais do nosso corpo.

Além de contribuir para a saúde óssea, ela possui um papel vital na regulação do sistema imunológico, na função muscular e na saúde cardiovascular. No entanto, em meio a estilos de vida cada vez mais urbanos e rotinas que limitam a exposição solar, a deficiência de vitamina D tem se tornado um problema de saúde.

Neste texto, exploraremos os sete sinais mais comuns que podem indicar a falta de vitamina D no corpo, bem como algumas dicas para aumentar seus níveis e melhorar sua saúde. Fique com a gente até o final desse texto para conhecer mais sobre essa vitamina tao importante e ficar atento aos sinais da falta dela.

O que é vitamina D e sua importância

A vitamina D, que também conhecida como a “vitamina do sol”, é um nutriente lipossolúvel essencial para o bom funcionamento do nosso organismo.

Sua principal forma é a vitamina D3 (colecalciferol), que é sintetizada em nossa pele quando exposta à luz solar. Além disso, a vitamina D2 (ergocalciferol) pode ser obtida através da alimentação. Veja as principais funções da Vitamina D no corpo:

Fortalecimento dos ossos

A vitamina D é fundamental na saúde dos ossos, já que atua para a absorção de cálcio e fósforo no organismo. Esses minerais são componentes-chave da matriz óssea e são necessários para a formação e manutenção dos ossos fortes e saudáveis.

Homem carregando garotinha nas costas.

Quando estamos expostos à luz solar, a pele sintetiza vitamina D através da ativação do colesterol na presença da radiação ultravioleta. A forma ativa da vitamina D, a D3, é responsável por estimular a absorção de cálcio no intestino delgado, permitindo que o mineral seja transportado para os ossos e dentes, onde é depositado para fortalecer a estrutura óssea.

A deficiência de vitamina D leva a uma diminuição da absorção de cálcio, resultando em ossos fracos e vulneráveis a condições como a osteoporose. A osteoporose é uma doença caracterizada pela diminuição da densidade óssea e aumento do risco de fraturas, especialmente em idosos.

Regulação do sistema imunológico

Esta vitamina possui um papel modulador no sistema imunológico, ajudando o corpo a combater infecções e reduzindo o risco de doenças autoimunes.

Saúde cardiovascular

A vitamina D está envolvida na regulação dos níveis de cálcio no organismo, o que é essencial para a função cardíaca adequada. Níveis inadequados de cálcio podem levar ao acúmulo de cálcio nas artérias, contribuindo para o desenvolvimento de aterosclerose, que é o estreitamento e endurecimento das artérias devido ao depósito de placas de gordura e cálcio. 

A aterosclerose é um fator de risco significativo para doenças cardiovasculares, como ataques cardíacos e derrames.

Função cerebral e emocional

O cérebro é um órgão rico em receptores de vitamina D, o que indica que esta vitamina pode ter efeitos diretos sobre as células cerebrais. Esses receptores estão presentes em várias áreas do cérebro, incluindo o hipocampo, que desempenha um papel importante na memória e aprendizagem. 

Homem jogando xadrez.

Estudos têm mostrado que a vitamina D está associada a um melhor desempenho cognitivo em pessoas de todas as idades. Pesquisas em idosos têm sugerido que a deficiência de vitamina D pode ter como consequência o declínio cognitivo e ao aumento do risco de demência, incluindo a doença de Alzheimer.

Além de sua influência na cognição, a vitamina D também pode estar relacionada à saúde emocional. Assim, a deficiência de vitamina D está associada a sintomas de depressão e ansiedade. Acredita-se que a vitamina D esteja envolvida na produção de neurotransmissores, como a serotonina, que desempenham um papel importante no bem-estar emocional.

Leia também: Qual a vitamina ideal para melhorar a função cognitiva

7 Sinais da falta de vitamina D 

A deficiência de vitamina D é tido um problema de saúde pública global, principalmente em regiões com pouca exposição à luz solar ou com hábitos de vida que limitam a exposição ao sol. 

Os sintomas da falta de vitamina D podem variar de pessoa para pessoa, mas alguns sinais comuns incluem:

7. Fraqueza muscular e fadiga excessiva

A vitamina D desempenha um papel importante na função muscular e na produção de energia. A falta dela pode levar a fraqueza muscular, cansaço constante e dificuldade em realizar atividades físicas.

Mulher com dos nas mãos.

6. Dores ósseas e problemas de crescimento

A deficiência de vitamina D pode afetar a saúde dos ossos, causando dores e desconforto. Em crianças, essa carência resulta em atrasos no crescimento e no desenvolvimento ósseo.

5. Sensibilidade e problemas dentários

A vitamina D é importante também para a saúde bucal, pois ajuda na absorção de cálcio, fundamental para a formação e manutenção de dentes saudáveis. A deficiência dela acarreta problemas dentários, como cáries e gengivite.

4. Mudanças de humor e sintomas de depressão

A vitamina D possui relação com a regulação dos neurotransmissores associados ao humor, como a serotonina. A falta dela pode estar relacionada a alterações de humor, sentimentos de tristeza e até mesmo sintomas de depressão.

3. Resfriados e infecções frequentes

Por atuar no sistema imunológico e ajudar a combater infecções, a falta de Vitamina D pode enfraquecer a imunidade, tornando o organismo mais suscetível a resfriados e infecções frequentes.

Mulher gripada com lenço no nariz.

2. Dificuldades de concentração e problemas cognitivos

A vitamina D está relacionada à função cerebral e ao desempenho cognitivo. A deficiência de vitamina D resulta em dificuldades de concentração, problemas de memória e até mesmo diminuição das habilidades cognitivas.

1. Aumento e dificuldade para perder peso

A vitamina D afeta a regulação do apetite e da saciedade. Receptores de vitamina D estão presentes no hipotálamo, uma região do cérebro envolvida na regulação do apetite. Assim, ela influencia os sinais de fome e saciedade, o que poderia impactar a ingestão calórica e, consequentemente, o peso corporal.

Sendo assim, esta vitamina também influencia no metabolismo e a regulação do peso corporal. A falta dela está também associada ao aumento de peso e à dificuldade em perder peso mesmo com uma dieta saudável e exercícios físicos regulares.

Como prevenir deficiência de vitamina D?

Para evitar a falta de vitamina D e melhorar sua saúde, é importante adotar algumas medidas preventivas:

Exponha-se moderadamente ao sol

A luz solar é a principal fonte de vitamina D. Recomenda-se a exposição direta e segura ao sol, preferencialmente nos horários em que os raios ultravioletas B (UVB) são mais intensos, como durante o período da manhã ou da tarde. 

O tempo necessário varia de acordo com a localização geográfica, a cor da pele e a estação do ano.

Alimentação rica em vitamina D

Incluir alimentos fontes de vitamina D na dieta é importante para complementar a exposição solar. 

Alguns exemplos são peixes gordurosos (como salmão e sardinha), gema de ovo, fígado e alimentos fortificados com vitamina D, como alguns leites e cereais.

Suplementação de vitamina D

Em alguns casos, a exposição solar pode ser insuficiente para atender às necessidades diárias de vitamina D, principalmente em regiões com invernos rigorosos. Nesses casos, a suplementação sob orientação médica é uma boa opção para evitar a deficiência.

A Vitamina D3 (colecalciferol) é a melhor fonte de Vitamina D e aliada com a Vitamina K2 direciona os nutrientes para os locais certos. 

A Vitamine-se contém este suplemento em gotas, sendo consumido de forma sublingual, a vitamina não passa pelo sistema digestivo, entrando diretamente na corrente sanguínea garantido maior e mais rápida absorção.

Opinião nutricionista Vitamine-se

Nossa nutricionista reitera que “pessoas que trabalham em ambientes fechados, apresentam maior propensão a ter deficiência da vitamina D devido à baixa exposição à luz solar, sendo preciso, nesses casos, avaliar a necessidade de suplementação”.

No entanto, antes de iniciar a suplementação, é importante checar os níveis de vitamina D no organismo a cada seis meses ou uma vez por ano.

“Normalmente, o padrão de referência de vitamina D varia conforme o laboratório. No geral, costumam ser considerados desejáveis níveis acima de 20 ng/mL, mas estudos recentes têm demonstrado resultados positivos da vitamina também entre 30 ng/mL e 80 ng/mL”, explica.

Para aumentar a absorção da vitamina, é importante observar as combinações de alimentos que potencializam sua absorção no organismo. “Por ser uma vitamina lipossolúvel, ou seja, que apresenta melhor afinidade com a gordura, é importante que o consumo seja após a refeição. Ainda: a vitamina D em cápsulas gelatinosas, que apresentam como veículo a gordura, terão uma melhor biodisponibilidade”, finaliza a nutricionista.

melhor vitamina para mulher (7)

A vitamina D desempenha um papel fundamental na saúde e bem-estar do nosso organismo. A falta dela pode causar uma série de problemas de saúde, mas felizmente, é possível prevenir e tratar a deficiência através de medidas simples, como exposição solar adequada, suplementação e uma alimentação balanceada. 

No entanto, recomendamos consultar um profissional de saúde para avaliar os níveis de vitamina D no corpo e orientar as melhores estratégias para otimizar a saúde e prevenir problemas relacionados à sua deficiência. Ao cuidarmos dos nossos níveis de vitamina D, estamos investindo em uma vida mais saudável e plena.

Vitamina D3+K2 em Gotas (Mk-7)

União de vitaminas D3 e K2 em gotas para melhor absorção que, em sinergia, promovem a manutenção da saúde óssea, metabólica e imune. Vitamina D3, que ajuda na absorção e fixação do cálcio e, em parceria com a K2direciona esse nutriente para os locais certos como ossos e dentes.